domingo, 10 de abril de 2016

Como Carlos Lamarca venceu sozinho a ditadura.



 Carlos Lamarca guerrilheiro supostamente morto em 1971, desertou do exército para entrar na missão “dolorosa” de resistir a ditadura, um método encontrado foi a não violência, sequestrando embaixadores para trocar por companheiros presos. Essa resistência era sem sentido pois foi marcada por traições da esquerda, pela fantasia eleitoral (Arena + PMDB) e apatia geral da sociedade. Só um bom tiro poderia tumultuar o baile de máscaras tupiniquim.

   Ao todo foram sequestrados 4 embaixadores: dos EUA, Japão e Alemanha Ocidental, culminando com o da Suíça em 1970, todos direta ou indiretamente comandados por Lamarca, o da Suíça alcançou libertar 70 presos, forçando o afrouxamento do regime e dando o aviso geral da astúcia nos procedimentos que apesar de tudo, poucos bravos eram capazes.

   Nesse contexto, a história deveria ser reescrita, assim como os EUA não ganharam no Vietnã nem inventaram o avião, também não dominaram o Brasil usando uma corja de vermes que até hoje assaltam nossos quartéis com corrupção, tirando o pão da boca das crianças e abrindo as pernas para o narcotráfico. Simples ações de pressão internacional, sem muito esforço colocaram todos contra a parede e derrotaram a ditadura.

 Mahatma Gandhi, idealizador da "não violência".